história do clube

MISSÃO

O Náutico Três Marias Iate Clube tem como Missão Institucional, objetivos sem fins lucrativos, sem participação político-partidária, de qualquer natureza, congregar seus sócios proprietários, contribuintes, vinculados a estes, dependentes e seus convidados, à convivência comunitária harmônica, na prática do lazer esportivo, náutico, social e recreativo, através de formação de uma consciência associativa, cultural, ambiental e cooperativa, tendo por base os princípios da solidariedade humana, sem distinção de nacionalidade, raça, credo e/ou ideologia de qualquer espécie.


VISÃO

Ser conhecido como um Clube de excelência no cumprimento de sua missão:

•    por possuir objetivos transparentes em seu estatuto, regimento interno e normas complementares;
•    por contar com um quadro de dirigentes, assessores, colaboradores e conselheiros, sem remuneração, motivados e envolvidos com seus objetivos estatutários;
•    por alcançar o equilíbrio estrutural entre as suas despesas e receitas;
•    por contar com um quadro de funcionários treinados e capacitados para o desempenho de suas funções, motivados e comprometidos com o seu trabalho;
•    por contar com um quadro de sócios proprietários e sócios contribuintes conscientes dos objetivos comunitários e cooperativos do Náutico;
•    por cooperar com as autoridades do país, instituições públicas e privadas e Organizações Não Governamentais, a fim de que a Cidade de Três Marias se transforme em centro turístico nacional e internacional;
•    por colaborar no desenvolvimento e promoção do eco-turismo, contribuindo e propiciando a defesa ambiental para a conservação e preservação da vida humana, da fauna e flora terrestre (silvestre), aquática e aérea, em perfeita harmonia e reprodução.



Um pouco da História do Náutico Três Marias Iate Clube

Foi criado antes de 1962, como Clube de Caça e Pesca de Três Marias, por um grupo de amigos, poucos ainda restam como sócios do Náutico. Em 1973 teve sua denominação alterada para a atual, Náutico Três Marias Iate Clube, contendo objetivos estatutários não muito bem delineados, pelos quais seu então dirigente buscava a sua utilização com fins de promover a venda de imóveis no Residencial em suas mediações. A partir de meados da década de 80, abnegados sócios proprietários de cotas do Náutico, alguns ainda presentes ao quadro social e administrativo e outros que deixaram o Clube ou faleceram, assumiram a administração do Náutico Três Marias Iate Clube, obtendo, em 1994, juridicamente, sua constituição com personalidade jurídica independente da Incorporadora que o havia projetado, mas que, nunca cumpriu o compromissado.
Em julho de 1989, após uma eleição anulada e tumultuada pelos interesses da Incorporadora, ficou sob intervenção judicial, administrado por eficientes sócios proprietários indicados pelo MM. Juízo da 10ª Vara Cível da Capital-MG., sem remuneração, até que em 1996, os últimos interventores resolveram que não administrariam o Náutico desta forma, obtiveram o deferimento de pedido acatado pelo então MM. Juiz titular daquele Juízo, impondo pesados ônus com polpudas retiradas nas exauridas e combalidas finanças do Clube na época, provocou nova ação de sócios proprietários defensores dos interesses comuns. Em setembro de 1998, cerca de 60 (sessenta) sócios proprietários, constituíram 03 (três) representantes e apoiados por outros 10 (dez) que espontaneamente se dispuseram enfrentar as adversidades, restituiu a normalidade administrativa ao Náutico, que se encontrava em estado de penúria,
Seguiu-se a eleição da primeira diretoria pós intervenção judicial, sob a presidência (Comodoro) de Luiz Carlos Diniz, enfrentando intenso combate judicial promovido pelo(s) dirigente(s) da “Incorporadora” e, posteriormente, reeleita em 2001, se opondo novamente às ações de um grupo de sócios proprietários que, em conluio com o(s) dirigente(s) da “Incorporadora”, que tinham pretensões de tirar proveitos exclusivamente particulares. Vencidas as pesadas dívidas deixadas no fim da intervenção e realizando investimentos que trouxeram valorização ao “Náutico” como a construção da piscina, novas quadras de esportes, reformas dos banheiros e outras edificações, redes de água, esgoto, bem como das combalidas instalações elétricas e hidráulicas dentro dos padrões básicos de manutenção para atendimento das necessidades e em benefícios dos sócios e frequentadores do Clube.

Em julho de 2004, sob aclamação, foi transmitida a administração do Náutico, a chapa única tendo por Comodoro, José Carlos Botelho. Este com os demais membros desta administração concluíram o saneamento das finanças do Náutico com o apoio da maioria dos sócios, realizando mais algumas obras de repercussão, como a ampliação do hangar de guarda de embarcações em sua área II, promovendo diversas atividades sociais e esportivas, em especial náuticas, conduzindo o estreitamento de relações com a comunidade de Três Marias, São Gonçalo do Abaeté e Curvelo, de onde advieram novos associados. O Salão de Eventos do “Clube Náutico, teve nesta gestão a sua reformulação, ampliando a vista do mesmo para a piscina, a praia e represa, transferindo para a parte diametralmente oposta e aumentando o palco, com novos banheiros e bar interno, transformando essa área de lazer no “Espaço Cultural Guimarães Rosa”,como partícipe do Circuito Turístico Estadual que leva o nome do laureado Escritor, pois. em Andrequicé, Distrito de Três Marias-MG., situa-se a casa/museu onde residia "Manoelzão", personagem do Livro Grande Sertão Veredas de João Guimarães Rosa. No citado Salão recebeu como convidados, diversas autoridades municipais, o Prefeito Adair Divino dos Santos, Secretários e Assessores, Vereadores, federais, representantes da Marinha, Aeronáutica e estaduais da Polícia Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros, das Associações comerciais e industriais locais, em sua posse de reeleição para o biênio 2007/2010, ocorrida, mais desta vez, por aclamação e sendo a primeira a ser realizada no “Clube Náutico”. Nesta segunda gestão, o Comodoro, José Carlos Botelho, com sua Diretoria, fez diversos melhoramentos internos no Clube e no Parque Náutico, foi dotado de um novo píer e a construção, em parceria com associados, o “Hangar III”, ampliando a capacidade e melhoria da guarda de embarcações.
Novembro de 2010, eleito o atual Comodoro e sua Diretoria Executiva, mais uma vez por aclamação, com sua posse no dia 30.12.2010, no “Espaço Cultural Guimarães Rosa”, que também foi prestigiada por representantes dos Órgãos Federais, Estaduais e Municipais, associações de classe, citados na posse de seu antecessor, empresários, tendo por destaque o memorável discurso do Prefeito Municipal de Três Marias, em seu segundo mandato, enaltecendo o empenho da Diretoria anterior juntos às comunidades, locais e regionais, cujo compromisso, foi ratificado pelo empossado, pela continuidade destas parcerias as autoridades em todos os níveis e associações de classe e congêneres, com fins estreitar laços, alcançando objetivos e metas comuns, em especial nas atividades turísticas,dentro desta feita, do Circuito Turístico do Lago de Três Marias sob a cobertura da area de atuação da "TURLAGO ".  impressa escrita e televisiva local.
Registra-se em destaque que, os dois últimos eventos dos “Reveillon”, realizados em parceria, respectivamente, com empresários locais, Srs. Wagner S. Reis e Alzair Teodoro de Faria, alcançaram sucessos de que há muito não se via no “Clube Náutico”, desde a gestão social de Luiz Carlos Diniz e Irene Ávila.


ATUALIDADES

As metas traçadas, têm como prioridade na atual gestão, a redução do custo de manutenção da rede elétrica e do elevado consumo de energia, com a modernização das instalações que se apresentam desgastadas pelo tempo de uso, sem deixar de atentar para a reforma do “Ranchão” e melhorias no Parque Náutico.
Obter recursos com a adequação das contribuições dos sócios através de Condomínios Complementares, pelo uso opcional de espaço interno de áreas e benefícios para estes disponibilizados, bem como, na realização de eventos tradicionais como o “Reveillon”, férias de janeiro e julho, “Carnáutico” e “Semana Santa”, promover diretamente ou em parceria com profissionais capacitados, atividades recreativas para todas as idades, especialmente, nos feriados prolongados como o de “7 de setembro” e “12 de outubro” ou em outros que se vislumbre possibilidades semelhantes, em especial o “Churrascão do Náutico” ou “ChurrasNáutico”, nos quais, outrora, foram obtidas arrecadações extras pelo empenho de dirigentes e assessores, para investimento no “Clube Náutico”, evitando a indispensável, mas, antipática, adoção de aumento do Condomínio obrigatório.

Reafirmando os princípios de trabalho abnegado da Diretoria Executiva, que tem como totalmente administrável a situação financeira do Náutico, certa de que, a colaboração dos sócios, principalmente proprietários de equipamentos e pertences alocados dentro do Clube, será incondicional.

 
MODERNIZAÇÃO

Para alcançar seus objetivos estatutários e idealizados pela luta histórica de seus abnegados sócios dirigentes históricos e atuais, a modernização do “Náutico” será feita através de um planejamento gerencial focado na padronização de procedimentos adotados em empresas de sucesso, sendo meta de fundamental importância insistentemente perseguida.

O investimento em recursos humanos, treinados para o exercício de suas funções, utilizando materiais e inclusive tecnologias aplicadas nas melhorias das instalações, para dotar o “Náutico” de estrutura capaz de contribuir, de forma determinante, com a adequação das suas despesas às suas receitas, desenvolver, por meio de uma organização gerencial e técnica eficaz, procedimentos capazes de atingir os anseios de seus sócios, da busca do lazer satisfativo, em fim, com a determinação de cumprir e fazer cumprir a sua MISSÃO e VISÃO.

 

contato

Av. do Sol, 2000,

Três Marias - MG, 39205-000

(31) 3292-3748 Secretaria de Belo horizonte 
(38) 3754-1332 Clube Náutico três Marias